top of page
Buscar
  • Foto do escritorEla Líder 360 Comunidade

Hábitos: O que são, como funcionam e porque podem ser bons ou ruins

Talvez você não tenha a dimensão de quanto os hábitos são importantes na nossa vida, o quanto interferem no nosso dia a dia.


Hábitos são muito transformadores e talvez você não tenha a ideia do quanto. Os hábitos são a chave do nosso comportamento e tem o poder de mudar drasticamente nossa vida. Inclusive, mudou a minha de uma hora para outra.



Todos nós temos hábitos que gostaríamos de ter e outros que gostaríamos de deixar para trás. Hábitos como ficar muito tempo nas redes sociais sem produzir nada, fumar, beber em excesso, comer demais, roer unhas, ter pensamentos tóxicos, comer de forma saudável, comer rápido etc.

 

Não sei se você já se tocou, mas início de ano é geralmente o momento em que todos juramos que vamos mudar a nossa rotina e adquirir novos hábitos, como emagrecer, começar a fazer uma atividade física (esses são os mais comuns).

 

Mas, infelizmente, 80% das metas de ano novo não sobrevivem à segunda semana de fevereiro e que só 8% das pessoas conseguem realizar suas metas de ano novo! Para adquirirmos novos hábitos, temos que ter muita disciplina e aí está a dificuldade para desenvolver novos hábitos bons.


Trabalhar é um hábito, se acostumar a dar o seu melhor e buscar o melhor desempenho possível é um hábito! Portanto, para atingir seus objetivos e metas, é necessário mudar a sua rotina e seus hábitos.


Então, o que são os hábitos?


São comportamentos que se incorporam na nossa rotina e vão passando a ser cada vez mais fáceis de executar, porque se tornam automáticos. São ações que estamos tão habituados a fazer, que muitas vezes nem pensamos, como dirigir, trocar a marcha, frear. Roer unhas, sem nem perceber está com a mão na boca.

 

Somos movidos pelos hábitos. Eles fazem com que nossos comportamentos sejam repetitivos e automáticos com o intuito de economizar energia no processamento cerebral de decidir entre fazer ou não alguma coisa.

 

Os bons hábitos estão ligados à nossa disciplina, em geral são mais difíceis de serem adquiridos por exigirem motivação e esforço além de trazerem benefícios em médio e longo prazo.


E por que é difícil adquirir bons hábitos?


Algo que atrapalha esses novos hábitos de serem desenvolvidos, é o fato de que já temos outros hábitos que atrapalham esse processo. Estamos tão acostumados com aquilo, que é mais fácil manter assim do que fazer de outro jeito. É a famosa “ZONA DE CONFORTO”.

 

Quer um exemplo? Você comprou um plano de academia e o único horário que consegue ir é às 6h da manhã.

 

Mas você tem o péssimo hábito de sempre acordar em cima da hora e gosta de dar mais aquela dormidinha. Aí, depois da 2º, 3ª vez que acorda todo animado para ir à academia, está chovendo e decide que não tem problema não ir naquele dia e que que vai dormir mais um pouquinho. E aí, dali 1 semana de novo, dali a 10 dias de novo você não aparecer 10 dias. Vai 1 vez, fica 20 dias sem ir, até que não aparece mais! E tudo o que pagou, vai ficar de presente para o dono da academia!!!

 

Você sabia que a procura por treinos físicos é alta? Mas 64% das pessoas abandonam seus programas de exercícios até o 3º mês e apenas 3,7% se mantem por mais de 12 meses?

 

Outra coisa que torna esse processo mais difícil é a luta entre a gratificação de curto e a de longo prazo. Imagina que você está em um processo para se alimentar de forma saudável. Vai ao mercado para comprar frutas e verduras.


Aí passa pela sessão dos doces. Acende uma luz piscante na sua mente que ela te fala:


“Nossa! Que delícia.” E você compra 1 barra de chocolate. E sem pensar, ainda no caminho de casa, come ela inteira! Essa é a gratificação de curto prazo! Você usou a gratificação de curto prazo contra o benefício da gratificação de longo prazo que é ingerir alimentos saudáveis. Esse benefício você só terá se conseguir manter a consistência diariamente por um período grande de tempo.


Como construímos os hábitos?


O livro “O poder do hábito” nos leva a entender que um hábito inicia em 3 etapas:

 

  1. Gatilho

  2. Comportamento

  3. Recompensa

 

Exemplo: quando eu trabalhava com eventos, sempre que chegava tomava um copão de Coca-Cola Zero com gelo.

 

1.    Gatilho = chegar para trabalhar

  1. Comportamento = pegar um copo grande com gelo e Coca-Cola

  2. Recompensa = tomar a Coca-Cola

 

Posso trocar esse hábito? Simmmmm!

 

Fui trocando meu comportamento de tomar Coca-Cola Zero por chá gelado inicialmente com adoçante, depois sem e depois troquei por água com limão.

 

Outro comportamento bem interessante que trata no livro e que me ajudou bastante, foi o hábito angular. Ele é basicamente um hábito capaz de modificar um ou mais hábitos, como um efeito dominó. Foi o que aconteceu com meu hábito de ter uma alimentação saudável. Tive que mudar meus hábitos alimentares porque comecei a ter ataques alérgicos. Me descobri super alérgica a conservantes, edulcorantes, emulsificantes, corantes e muito mais. Tive que retirar tudo que fosse industrializado da minha dieta. Zero produtos químicos.

 

Uma vez que adquiri o hábito de me alimentar melhor, comecei a perceber que queria ter uma melhor qualidade de vida. Minha pele melhorou, percebi que até minha pele ficou mais firme. Eu já me exercitava, mas percebi que poderia fazer ainda melhor. Um hábito foi puxando outros e outros. E quando vi, praticamente toda minha rotina havia mudado e eu estava experimentando novos hábitos super saudáveis e me sentindo muito melhor.

 

A mecânica de um comportamento


No livro “Mini hábitos: Como alcançar grandes resultados com o mínimo esforço”, Stephen Guise explica como surge um comportamento, um hábito, e dá ótimas dicas de como podemos mudá-los.

 

O autor, Ph.D. em psicologia fala que a mecânica do comportamento vem a partir de: Co = M*C*P (comportamento = motivação capacidade prompt). E o que quer dizer isso?

 

Para executarmos um comportamento, seja ele qual for, precisamos ter bom nível de motivação, precisamos conseguir executá-lo e precisamos de um prompt (o gatilho). Quanto mais motivados estivermos, menos capacidade precisamos ter e vice-versa. Exemplo: Ir para a academia às 6 da manhã:

 

1. Motivação: você quer muito cuidar da sua saúde e quer ter um corpo legal;

2. Capacidade: é uma decisão difícil de ser executada. Você precisa acordar mais cedo, comer ou tomar algo antes de começar a treinar se vestir, pegar sua mochila, ir até a academia (a pé, no seu carro, de ônibus), deixar suas coisas no armário.

3. Prompt: seu gatilho = toque do despertador;

 

E o que podemos fazer para garantir que o nosso comportamento aconteça?

 

1.    Motivação: chamar um amigo para ir com você à academia, contratar um personal trainer, ouvir uma música que te motive logo ao acordar.

2.    Capacidade: deixar sua roupa e equipamentos separados na noite anterior, um lanche pronto e a cafeteira montada para o café da manhã, sua mochila montada na noite anterior com garrafa de água, toalha e roupas para se trocar para ir ao trabalho, fazer academia no seu condomínio, perto de casa, ou em casa mesmo. O fato de se preparar com antecipação, lhe dá motivação e sensação de objetivo alcançado. E isso parece pouco, mas entendemos como algo já realizado, não pensamos em não fazer.

Para transformar comportamento em hábito é preciso garantir que a combinação entre motivação e capacidade sejam sempre maiores do que o seu limiar de ação, ou seja, devem ser suficientes para manter a constância em um período de tempo médio a longo.

 

5 hábitos que podem ajudar na sua rotina

 

  1. Parar de procrastinar: é o primeiro hábito que temos que abandonar. Você sabe o que é procrastinar? É deixar para depois qualquer coisa que tenhamos que fazer.

 

  1. Estar atento aos seus pensamentos: é do ser humano pensar, pensar, pensar. Estudos mostram que temos entre 12 e 50mil pensamentos por dia! Existem os bons pensamentos, aqueles que nos trazem alegria, conquistas, felicidade, mas existem os pensamentos tóxicos. Esses podem chegar a 80% dos seus pensamentos em um dia mal! E o pior é que mal nos damos conta disso! Por isso sugiro que crie o hábito de tomar consciência do que está pensando! E caso sejam pensamentos tóxicos, crie o hábito de dar um tapinha na sua cabeça, falar: pensamento toxico – e imediatamente pensar no oposto, qual o lado bom desse mesmo pensamento.

 

  1. Cuidar de si mesmo: muitas pessoas deixam sua vida pessoal de lado quando estão muito focados na sua carreira profissional. Trabalha até tarde todos os dias, se alimenta mal, dorme pouco, deixa os cuidados com sua saúde para depois, não tem tempo para família nem amigos. A meu ver, esse é o pior erro que podemos cometer. Se cuidar, estar com amigos, ter disposição, te torna muito mais produtivo e disposto. Gente feliz e saudável produz muito mais, por muito mais tempo.

 

  1. Planejar seu dia, sua semana, sua vida: planejamento e organização são hábitos que podem acelerar seus resultados. Uma pessoa, um profissional desorganizado, joga pelo ralo um tempo precioso e não tem olhar para novas oportunidades. Reservar um espaço do dia para planejar suas atividades pode transformar seu desempenho.

 

  1. Estudar sempre: Se você não tiver o hábito de se manter atualizado(a), vai, infelizmente, acabar ficando para trás. No mundo atual, se manter atualizado é o que vai te tornar competitivo. Acompanhar as mudanças promove o seu crescimento pessoal e profissional te ajudando a tomar decisões e principalmente, aproveitar as oportunidades que surgirem.

 

Fontes:

 

 

“Mini hábitos: Como alcançar grandes resultados com o mínimo esforço” https://doceru.com/doc/x8ss1x8

 

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page